RS - Porto Alegre (Parte II)

Porto Alegre

Intitulada “Cidade Sorriso", Porto Alegre é encantadora. Multicultural por natureza, fundada em 1772 pelos portugueses açorianos, abrigou ao longo dos séculos, imigrantes de todo o mundo. Hoje com 1,4 milhão de habitantes, sendo a quarta mais populosa do país. Terra de grandes escritores, intelectuais, artistas e políticos. Porto Alegre está entre as cidades mais arborizadas do mundo, com mais de um milhão e meio de árvores, muitas praças e parques.

Largo dos Açorianos

Cartão postal de Porto Alegre, o Largo dos Açorianos conta com a Ponte de Pedra, construída em 1848, que cruzava o Arroio Dilúvio, que teve seu curso alterado em 1937, junto à Avenida Ipiranga. Apesar disso, a ponte não foi derrubada e, em 1979, ocorreu seu tombamento. Atualmente, há um espelho d'água sob seus três pilares em forma de arco. O Monumento aos Açorianos, presta uma homenagem aos casais açorianos que colonizaram Porto Alegre em 1752. Na escultura de metal, os corpos unidos de pessoas fazem lembrar o casco de um navio. Ao fundo do monumento pode-se avistar o Centro Administrativo de Porto Alegre.

Praça Marechal Deodoro ou Praça da Matriz

A Praça da Matriz de Porto Alegre, cujo nome oficial é Praça Marechal Deodoro, está localizada no coração de Porto Alegre, e existe desde os primórdios da capital, quando, ainda em 1773, chamava-se Largo do Palácio ou da Matriz. Hoje a Praça da Matriz é o centro político do estado e em seu entorno existem diversos prédios de importância histórica ou social para a cidade. Ali estão a Catedral Metropolitana de Porto Alegre; o Palácio Piratini, sede do Poder Executivo Estadual; o edifício da Assembléia Legislativa, o Palácio do Ministério Público e o Palácio da Justiça. Também estão localizados na praça o Theatro São Pedro e alguns outros casarões antigos.

Praça da Alfândega

Situada no Centro Histórico da cidade, a praça é cercada por importantes edificações, algumas delas igualmente históricas e antigas, tais como o Museu de Arte do Rio Grande do Sul Ado Malagoli (MARGS), o Memorial do Rio Grande do Sul, o Santander Cultural e o Clube do Comércio de Porto Alegre. Outros prédios incluem as sedes do Banrisul e da Caixa Econômica Federal e o Rua da Praia Shopping. Vários monumentos são encontrados nessa praça: ao General Osório, ao Barão do Rio Branco, à Caldas Júnior, à Mário Quintana e ao Barão de Sto Ângelo. Na Praça da Alfândega ocorre todos os anos desde 1955, a Feira do Livro de Porto Alegre, atraindo milhares de visitantes não só pela vasta oferta de livros, como também pelos espetáculos de música, teatro e dança.

Parque Germânia

O Parque Germânia, também chamado de Parque Alemanha, foi inaugurado em 26 de março de 2006 no aniversário de 234 anos da cidade de Porto Alegre. O parque recebeu esse nome para homenagear a imigração alemã no Rio Grande do Sul. O parque possui 15,11 hectares de extensão e conta com um lago e com diversas quadras de tênis, de basquete e de futebol. Além disso, há uma área de proteção da vegetação nativa, com acesso proibido aos visitantes. O Germânia também possui ao todo 460 bancos, lixeiras para coleta seletiva, segurança em tempo integral e 105 vagas de estacionamento.

Jardim da Estação Moinhos de Vento do Dmae / Praça do DMAE

Jardim situado na área da Estação de Tratamento de Água do Departamento Municipal de Água e Esgoto (DMAE), no bairro Moinhos de Vento, popularmente conhecida como Praça do DMAE. O espaço foi inaugurado em 1928. O complexo arquitetônico, construído em uma área de cerca de seis hectares, foi inspirado nos Jardins do Palácio de Versailles, da França. O jardim compõe o complexo de prédios da sede administrativa do DMAE. O acesso é restrito e agendado, mas a utilização do espaço para atividades culturais está cada vez mais comum. Além disso, a área é muito utilizada para ensaios fotográficos, filmagens e ponto de piqueniques.

Praça Província de Shiga

Situada no bairro Passo d'Areia, a Praça Província de Shiga é delimitada pelas avenidas Cristóvão Colombo e Plínio Brasil Milano e pela Rua Marechal José Inácio da Silva. Inaugurada em outubro de 1983, a praça foi financiada pelo governo do Japão, para celebrar o convênio de fraternidade assinado entre o Rio Grande do Sul e Shiga, dois estados-irmãos. A praça é um pedaço do Japão dentro de Porto Alegre, muito bem cuidada e harmoniosa. Bastante requisitada por fotógrafos, que a utilizam para registrar eventos de casamentos, books, aniversário de 15 anos, entre outros.

Usina do Gasômetro e o pôr-do-sol no Lago Guaíba

Em 1928 foi inaugurada a Usina do Gasômetro, projetada para gerar energia elétrica à base de carvão mineral para Porto Alegre. Em 1937, a chaminé foi construída para evitar a nuvem de fuligem que se formava devido a queima do carvão. Em 1974, quando foi desativada, uma mobilização da população impediu sua demolição. Em 1989 criou-se o espaço cultural do trabalho e em 1991 foi aberta ao público. O interior da Usina comporta a Galeria Iberê Camargo, a Galeria dos Arcos, a Sala Elis Regina, exposições, feiras e o Memorial da Usina. Em 2009 foi inaugurada uma estátua da porto-alegrense Elis Regina junto à Usina. Atrás da usina, no Lago Guaíba nos deparamos com o mais lindo pôr-do-sol do Brasil. O Lago Guaíba, que até há pouco tempo era chamado de rio, possui quatrocentos e noventa e seis quilômetro quadrados. Porto Alegre está histórica e culturalmente ligada ao Lago Guaíba desde a chegada dos primeiros açorianos. Seu pôr-do-sol é único e inesquecível; um verdadeiro espetáculo da natureza.

Passeio de barco pelo Lago Guaíba

Um passeio barato e imperdível que tem início no cais da Usina do Gasômetro. A medida que o barco se afasta, vemos a bela panorâmica da capital gaúcha. No meio do lago, lanchas e jet-skis colorem as águas do guaíba. O passeio avança pelo rio Jacuí onde é contornada a ilha da pintada, que tem na sua orla lindas mansões. O barco também passa pela "Colônia de Pescadores", que conforme o horário do passeio, pode-se descer e apreciar pratos à base de peixe (obviamente). O barco passa pela ponte que liga Porto Alegre à Eldorado do Sul e retorna na altura da ponte do Jacuí, passando pelo canal Maria Conga, onde vemos a ilha da pólvora que ainda preserva um estilo selvagem. Novamente no lago, passamos pela ilha do Chico Inglês, apreciamos mais de perto a vista da capital e atracamos na Usina do Gasômetro. Fim do belo passeio...

Igrejas