DF - Brasília

Brasília

Localizada estratégicamente no coração do Brasil, a construção da cidade de Brasília, teve início em 1956 e inaugurada no dia 21 de abril de 1960, com o propósito de substituir o Rio de Janeiro como capital nacional. É aqui que estão centralizados os poderes políticos e administrativos do país. Uma das características mais marcantes da cidade são as largas avenidas que envolvem os prédios públicos e se espalham pelas asas norte e sul, que por sua vez são divididas nas chamadas superquadras, cada uma contendo diversos edifícios. No extremo leste do plano piloto está a Praça dos Três Poderes, onde se encontram as sedes do Palácio do Planalto, do Congresso Nacional e do Supremo Tribunal Federal. Considerada uma cidade de vanguarda em termos de arquitetura, Brasília tem na Catedral Metropolitana e na Ponte Juscelino Kubischeck as estruturas mais distintas. Ambas foram projetadas por Oscar Niemeyer, o homem por trás da maioria das marcantes construções da nova capital. Pela sua arquitetura, Brasília é a única cidade do mundo construída no século XX a ser declarada pela UNESCO como um Patrimônio da Humanidade.

Cidade planejada, setorizada e com arquitetura moderna

Brasília foi construída as margens do lago artificial Paranoá, que foi represado a fim de aumentar a quantidade de água disponível para a região. O formato do lago originou seu formato de avião. A rodoviária fica localizada no centro do plano piloto.

Eixo Monumental Leste

Neste eixo tem a área dedicada aos órgãos do Governo Federal, a Praça dos Três Poderes e a Esplanada dos Ministérios. Em seu gramado central são realizados diferentes eventos, como shows ou concentrações públicas. É também nesse eixo que encontramos a Catedral Metropolitana, o Teatro Nacional, o Museu Nacional e a Biblioteca Nacional. Saindo da "cabine do avião", ainda no lado leste, em seu extremo sul tem a ponte JK sobre o lago paranoá, ligando o Plano Piloto à QL 24/26. No extremo norte, as margens do lago, tem o palácio da alvorada, residência oficial do presidente da república e o Palácio do Jaburu, residência oficial do vice-presidente.

Congresso Nacional

O Edifício Principal, revestido em mármore e vidro, é de uso comum à Câmara e Senado, abrigando os dois plenários e a maioria dos setores políticos das duas Casas do Congresso. Do lado direito está a Câmara e do lado esquerdo, o Senado. O Salão Negro, revestido em mármore branco com o piso em granito negro, comum às duas Casas, é a mais importante entrada do Edifício Principal. É reservado para grandes solenidades e recepções. Em uma de suas paredes encontra-se trecho do discurso pronunciado pelo Presidente da República Juscelino Kubitschek ao sancionar a lei que fixou a data da mudança da capital. O Salão Nobre ou Salão de Recepções, ao lado do Salão Negro, é decorado com um belo vitral de Marianne Peretti, painel do artista plástico Athos Bulcão e móveis de Ana Maria Niemeyer. Serve como cenário para lançamentos de livros e solenidades variadas. O Salão Verde, que recebeu esse nome em função da cor do tapete que o reveste, é considerado o coração da Câmara dos Deputados, é nesse salão onde os parlamentares concedem entrevistas aos jornalistas. Ao fundo tem um jardim concebido pelo paisagista Roberto Burle Marx, revestido por painel de azulejos criado por Athos Bulcão. Cabe destacar o "Anjo", de Alfredo Ceschiatti, em bronze dourado, e a escultura do francês Andrè Bloc, simbolizando a construção de uma cidade, obra doada pelo governo da França. Emiliado Di Cavalcanti pintou especialmente para o Palácio do Congresso o mural "Alegoria de Brasília". Decoram ainda esse salão painéis de Athos Bulcão e Marianne Peretti. O mobiliário - poltronas e mesas de centro - é criação de Oscar Niemeyer. O Salão Azul é via de acesso a três espaços fundamentais: o Plenário, o gabinete do presidente do Senado e a Secretaria-Geral da Mesa. A Bandeira do Brasil e das 27 unidades da Federação estão expostas em uma área do Salão Azul conhecida como Praça das Bandeiras. Os estandartes estão dispostos, alternadamente, conforme a data de constituição histórica de cada estado, a partir da Bandeira do Brasil, localizada no centro. O Túnel do Tempo liga o edifício principal ao Anexo 2. Em suas paredes, há painéis que contam a história do Senado brasileiro desde sua criação, pela Constituição Imperial de 1824, até os dias de hoje. Os móveis do Plenário do Senado nas antigas sedes do Palácio Conde dos Arcos e do Palácio Monroe, no Rio de Janeiro, foram transferidos para a sede atual e remontados a fim de serem expostos. Presidiários da Penitenciária do Rio de Janeiro, orientados pela Casa Leandro Martins, produziram os móveis em madeira de lei, em 1867. Esse conjunto é chamado atualmente de Plenarinho e sua disposição é semelhante à do Plenário atual.

Catedral Metropolitana de Brasília

Projeto do arquiteto Oscar Niemeyer foi inaugurada em 1970. Possui 40 metros de altura, formada por 16 colunas de concreto armado. O altar foi doado pelo Papa Paulo VI, que também abeçoou a cruz metálica de 12 metros no topo do templo. Os vitrais são de autoria de Marianne Peretti. Na entrada da catedral tem quatro monumentos em bronze dos evangelistas: São João, São Mateus, São Lucas e São Marcos, medindo 3 m de altura, obra de de Alfredo Cheschiatti.

Eixo Monumental Oeste

O lado oeste do Eixo Monumental é dedicado aos órgãos do Governo do Distrito Federal, como o Palácio do Buriti (sede do governo local), o Tribunal de Justiça do Distrito Federal e Territórios e a sede da Câmara Legislativa do Distrito Federal. Também a oeste, se encontram o Memorial JK, a Catedral Militar Rainha da Paz, a Torre de Televisão, o Centro de Convenções, o Estádio Mané Garrincha e o Parque da Cidade.

Memorial JK

Localizado em um dos pontos mais altos de Brasilia, o Memorial JK foi construido no espaço em que foi celebrada a 1ª missa de Brasília, por Dom Carlos Carmelo de Vasconcelos Mota, Cardeal Arcebispo de São Paulo. Num altar de lona e madeira, concebido para a solenidade pelo arquiteto Oscar Niemeyer, realizava-se um ato de profunda religiosidade, para marcar a presença de Deus e do homem na solidão do Planalto Central. Podemos encontrar várias coisas de Juscelino Kubitschek, como os seus restos mortais, o seu casaco simbólico, a sua faixa presidencial, medalhas, e outros pertences.

Asa Sul

É nessa Asa que encontramos setores importantes como: Setor Bancário Sul, Setor Hospitalar Sul, Setor das Autarquias Sul e o Setor Hoteleiro Sul. Um pouco mais ao sul encontramos a LBV e o Aeroporto Internacional JK.

Legião da Boa Vontade

O Templo da Legião da Boa Vontade tem a forma de uma pirâmide com objetivo de ser um centro ecumênico. A construção é formada por uma nave principal, uma pirâmide de sete faces que tem, em seu ápice, um cristal com 40 cm de altura e 21 kg que confere energia positiva ao local, segundo os idealizadores da obra. No altar, estão os quatro elementos básicos da natureza (ar, água, terra e fogo). No interior do templo, há o caminho da peregrinação - uma espiral desenhada no piso com pedras negras, onde é realizado um ritual de energização e purificação. Há ainda uma sala egípcia, galeria de arte, fonte de água energizada, loja de souvenirs, café, livraria, lanchonete, restaurante, ala dos estudantes com biblioteca e o programa "Internet Para Todos".

Asa Norte

A Asa Norte tem infraestrutura de lazer, moradia e educação. Algumas referências: Universidade de Brasília, Liberty Mall, Shopping Conjunto Nacional, Brasília Shopping, HRAN, Colégio Militar de Brasília, Centro Universitário de Brasília, Colégio Marista João Paulo II, Centro Nacional dos Correios e Parque Olhos D'Água.

Parque Olhos D'água

O Parque Olhos D´Água é um pequeno oásis no meio da Asa Norte. O espaço tem trilhas cercadas por animais e vegetação nativa do cerrado. A Lagoa do Sapo é uma das principais atrações da trilha. O parque infantil, equipamentos de ginástica e espaço para atividades de educação ambiental completam a estrutura.